in , ,

Conheça cinco startups unicórnios que querem revolucionar a saúde

O Butterfly iQ conecta-se ao iPhone para realizar exames de ultrassom (Crédito: Divulgação)

Apesar da pandemia da covid-19, que abalou investimentos por todo o mundo, as startups de saúde conseguiram arrecadar bilhões de dólares. Inclusive, algumas empresas atingiram o status de unicórnio nesse período, ou seja, valor acima de US$ 1 bilhão.

De acordo com um levantamento do Business Insider, com dados do PitchBook e CB Insights, existem 20 startups de assistência médica e saúde nos Estados Unidos que valem US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,2 bilhões no câmbio de hoje) ou mais.

Só no primeiro trimestre de 2020, essas 20 empresas arrecadaram US$ 14,6 bilhões. No mesmo período de 2019, o investimento foi de US$ 13,5 bilhões. Veja abaixo o que cinco dessas empresas estão desenvolvendo.

Rani Therapeutics (US$ 1 bilhão – R$ 5,2 bilhões)

A startup de biotecnologia Rani Therapeutics quer encontrar uma maneira de transformar medicamentos injetáveis ​​em pílulas para pessoas com doenças crônicas. A empresa tem um mercado potencial de bilhões de dólares para medicamentos como a insulina. Criada em San Jose, na Califórnia, a startup levantou US$ 53 milhões em fevereiro deste ano do braço de investimentos da Alphabet, dona do Google. No total, a Rani já teve US$ 142 milhões de investimentos.

Butterfly Network (US$ 1,3 bilhão – R$ 6,8 bilhões)

A Butterfly Network desenvolveu um aparelho de ultrassom baseado no iPhone. O dispositivo, chamado Butterfly iQ, conecta-se ao iPhone e tem quase o mesmo tamanho do celular. Ele já foi aprovado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA para uso em imagens de abdômen, bexiga e coração. No total, a empresa já levantou US$ 370 milhões.

23andMe (US$ 2,5 bilhões – R$ 13,2 bilhões)

A 23andMe é especializada em testes genéticos. Eles são projetados para fornecer informações variadas como a quantidade de DNA de neandertal que a pessoa possui a seus riscos de saúde. A startup tem parceria com as farmacêuticas GlaxoSmithKline e GSK. Com a desaceleração do mercado de genética no início deste ano, a empresa teve que demitir 100 funcionários e direcionou suas pesquisas para encontrar links entre a genética e a gravidade da covid-19. Até hoje, a 23andMe levantou US$ 792 milhões.

Grail (US$ 3,87 bilhões – R$ 20,5 bilhões)

A Grail está criando um teste de rastreamento de câncer. O objetivo é identificar os pequenos fragmentos de DNA do câncer que estão no sangue. Se a startup for bem-sucedida, será umas das primeiras a realizar um exame de sangue que realmente consegue detectar as células de câncer. A empresa começou a apresentar dados sobre a detecção precoce de câncer de pulmão e células múltipla de câncer em estágio inicial.

Em maio deste ano, a startup recebeu US$ 390 milhões em financiamento. No total, a empresa levantou US$ 1,9 bilhão. A Grail já recebeu investimentos de companhias como a de Jeff Bezos e Bill Gates, além de gigantes como a Johnson & Johnson Innovation, Arch Venture Partners, Bristol-Myers Squibb, Celgene e Merck.

Samumed (US$ 12,4 bilhões – R$ 65,6 bilhões)

A Samumed é a startup de maior valor da lista do Business Insider. A empresa, sediada em San Diego, atraiu um total de US$ 764 milhões graças a uma série de tratamentos para regenerar cabelos, pele, ossos e articulações. A ciência do negócio inovador depende das células-tronco progenitoras e o objetivo é manipular o caminho dessas células para que elas entrem em ação. A Samumed, que já está em estágio avançado de maturação, informou, em maio de 2018, que poderia abrir capital nos próximos três a quatro anos.

As outras startups unicórnios de saúde são: Hims (US$ 1,1 bilhão); Clover Health (US$ 1,2 bilhão); Rakuten Medical (US$ 1,2 bilhão); Lyell (US$ 1,2 bilhão); HeartFlow (US$ 1,6 bilhão); Zocdoc (US$ 1,8 bilhão); Devoted (US$ 1,8 bilhão); Bright Health (US$ 2,2 bilhões); GoodRx (US$ 2,8 bilhões); Oscar Health (US$ 3,2 bilhões); VillageMD (US$ 3,3 bilhões); Ginkgo (US$ 4 bilhões); Intarcia Therapeutics (US$ 4,1 bilhões); Tempus (US$ 5 bilhões); e Roivant (US $ 7 bilhões).

Rapaduratech

Escrito por Rapaduratech