in ,

Conheça o app de câmera feito para combater fake news

(Foto: LightRocket via Getty Images)

Uma das armadilhas de desinformação mais comuns nas redes sociais são fotos de acontecimentos que na verdade se referem a outro momento ou lugar. Pense em imagens de manifestações passadas sendo reutilizadas para inflar ou diminuir o número de participantes do mais recente ato. É coisa comum, facilitada pelo fato de que fotos tiradas do celular são objetos atemporais, elas não ficam ali paradas, reservadas a um espaço de tempo. É justamente isso que está na mira da startup estadunidense Truepic, que está desenvolvendo em parceria com a fabricante de chips Qualcomm um modo de câmera capaz de ‘rotular’ qualquer foto tirada por dispositivos Android com hora e lugar definidos, capturados através do sensor de GPS do dispositivo.

O sistema funciona por debaixo dos panos e protege ambas as informações sob uma camada de criptografia – tudo roda no mesmo espaço do processador dedicado a biometria e pagamentos online. Nada de pensar naquelas fotos antigas, dessas que você tem em álbuns de fotografia e marcadas com data e hora. É sim algo mais sutil, um traço de informação que pode ser posteriormente checado por quem recebê-las. A ideia é que a função ajude jornalistas a entender se uma dada imagem captura um momento verídico, internautas a checar o que surge em suas redes e até companhias de seguro indecisas sobre o registro de um acidente.

Por ora, a startup está focada na versão de seu serviço para o Android, sistema operacional presente em grande dos celulares no mercado. Como sua abordagem está atrelada ao chip do celular, uma versão para iPhones e iPads exigiria toda uma adaptação, já que esses dispositivos contam com processadores desenvolvidos internamente pela própria Apple.

A equipe do Truepic não trabalha em um vácuo. Sua tecnologia se baseia nos parâmetros definidos pelo grupo Content Authenticity Initiative, formado por players como o jonal New York Times, Twitter e Adobe (que planeja suporte a funções similares em seu software de edição, o Photoshop). A iniciativa espera criar um padrão para que conteúdo online venha com informações embarcadas para garantir sua autenticidade – de projetos como o Truepic a criação de rastros digitais sempre que uma imagem for editada.

Fonte: GQ

Rapaduratech

Escrito por Rapaduratech