in

Guia: Entenda as principais siglas do mundo das startup

Early Stage, Scale-Up, Valuation: ao se deparar com alguns desses termos, comuns no universo das startups, você já ficou sem entender qual o seu significado? Não se preocupe, essa situação é mais comum do que se imagina!

Para te ajudar nessa, o coordenador de formação empreendedora da Hotmilk, Paulo Porto Martins, compartilha quais termos você não pode deixar de conhecer. Confira a seguir:

Aceleradora: como o nome já diz, o principal objetivo é acelerar o crescimento de uma startup. Para isso, profissionais experientes aplicam metodologias que auxiliam no desenvolvimento do negócio, formação de rede de contatos e mentorias, para escalar uma startup parceira.

Break-even: é termo que representa o equilíbrio financeiro em uma startup. É momento em que os custos se igualam as receitas da empresa, quando sua atividade “se paga”.

CAC: é um indicador que mede o custo de aquisição por cliente. Na prática, é utilizado um cálculo de divisão entre o valor da soma dos investimentos pelo número de clientes adquiridos em um determinado período de tempo. Para trazer benefícios, o lucro gerado pelo cliente deve ser maior do que o resultado do cálculo do CAC.

Due Diligence: etapa em que as startups são avaliadas conforme seu grau de risco pelos investidores, com o objetivo de determinar se o aporte vale a pena.

Early Stage: nome que as startups recebem quando estão em fase de validação, ou seja, ainda não possuem um produto ou serviço definido para venda no mercado.

Family, Friends and Fools (FFF): é o primeiro investimento que a startup recebe, que ajuda a sobreviver na fase inicial, quando a empresa tem apenas alguns meses.

Growth Hacking: processo que envolve uma série de testes rápidos a fim de definir a forma mais eficiente de crescer o negócio.

Hub: é o nome dado para um ambiente onde as pessoas pode se conectar para trocar ideias, experiências e gerar inovação.

Investimento anjo: é o investimento realizado por pessoas físicas com capital próprio em startups de fase inicial.

Job Rotation: rodízio de funções realizado em uma startup com o objetivo de capacitar os colaboradores para diferentes funções.

KPI: é um indicador de performance utilizado na startup para avaliar o cumprimento de metas e objetivos para o futuro.

Lean Startup: também conhecido como a startup enxuta. É método de desenvolvimento de produtos com foco em agilidade, inovação e interação com os clientes.

Market Share: expressão utilizada para expressar a participação de uma empresa em um determinado mercado.

Net Promoter Score (NPS): é uma metodologia desenvolvida junto aos clientes para medir qual a probabilidade do cliente estar indicando a startup para um conhecido.

Open Inovattion: significa inovação aberta, conceito em que as empresas desenvolvem ideias de forma interna e externa a fim de gerar inovação.

Pivotar: significa levar a startup para outra direção, testando novos metódos e hipóteses.

Retorno sobre investimento (ROI): percentual de dinheiro ganho em relação ao investido.

Scale-up: são empresas com menos de 10 funcionários que crescem pelo menos 20% ao ano, durante três anos seguidos.

Term Sheet: primeiro documento assinado pelo empresário e os investidores para o processo de aporte de investimento.

Unicórnio: status adquirido pelas startups avaliadas em 1 bilhão de dólares.

Valuation: processo de avaliação que define o valor de uma empresa no mercado.

White Label: modelo de negócio desenvolvido por uma startup que vende ou aluga sua solução para outras empresas.

Fonte: Gshow