in ,

Investimento anjo: o que é e como se planejar para captar?

Para colocar um negócio de pé, os empreendedores precisam de recursos. No entanto, pode ser um desafio encontrar quem esteja disposto a investir em startups e, mais especificamente, na sua ideia. Uma das opções para as empresas ainda em estágios iniciais é o chamado investimento anjo.

Neste artigo, vamos explorar melhor esse conceito, os benefícios que um investimento anjo pode trazer para a sua startup e entender como se preparar para captar recursos. Acompanhe!

O que é investimento anjo?

O investidor anjo é uma pessoa (física ou jurídica) que coloca dinheiro próprio em um negócio em fase inicial. Normalmente, o aporte é menor do que o que um fundo de venture capital faria, podendo ficar, em média, USD 180 mil — conforme levantamento no banco de dados proprietário Distrito Dataminer.

Uma questão a ser observada aqui é que o investidor anjo pode entrar apenas com recursos financeiros, mas também acontece muitas vezes de ele somar para o negócio com seu conhecimento e expertise, ou seja, traz também um capital intelectual. Isso porque, normalmente, estamos falando de alguém com bastante experiência no mercado, com uma carreira bem-sucedida no mundo dos negócios.

Nessa modalidade, o investidor estará presente no dia a dia da empresa, não em questões operacionais, mas como alguém que pode trazer bons insights, uma vez que conhece bem o mercado e outras empresas similares.

Por agregar valor ao negócio com know-how, é também chamado de smart money, ou seja, dinheiro inteligente. Eles poderão ajudar a estruturar melhor o modelo de negócios da empresa e prepará-la para o mercado.

Como se planejar para captar um investimento anjo?

O processo conseguir investimento começa pela estruturação do negócio e captação do investimento. O empreendedor deve ter clareza de como o investimento anjo poderá ajudar seu negócio e se preparar para esse processo conhecendo os requisitos que serão exigidos dele.

Veja algumas das medidas a tomar para se planejar:

  • pesquisar o mercado de atuação do negócio;
  • conversar com potenciais clientes;
  • testar e validar ideias;
  • verificar vantagens competitivas;
  • desenvolver um protótipo ou prova de conceito do produto e/ou serviço principal e validá-lo com clientes potenciais.

Com isso, é hora de elaborar um pitch, ou seja, uma apresentação do modelo de negócio, mostrando como o produto ou serviço vai atender o mercado, qual será a forma de receita, quanto se espera faturar e qual o investimento necessário, assim como onde esse será usado.

É só então que se deve buscar o investidor. Agora, como encontrá-lo? Existem diversos caminhos, mas é essencial frequentar os círculos de empreendedorismo, porque é lá que estão também as empresas, os fundos de venture capital e os investidores anjo, à procura de boas oportunidades.

Ao fazer parte do programa, você terá acesso a um vasto conteúdo sobre o tema, com reports especializados nos diversos segmentos da economia, ferramentas de gestão e marketing, além de uma rede de mentores com experiência no mercado. Dessa forma, você terá todo o apoio para planejar uma captação de investimento anjo.

Lembre-se de que o investidor anjo tem muito interesse em fazer seu negócio dar certo, uma vez que ele tem dinheiro investido na empresa e aceitou correr o risco junto com você.

Fonte: Distrito

Rapaduratech

Escrito por Rapaduratech