in , , ,

O preço do empreendedorismo no Brasil e a necessidade do resguardo jurídico

Não é novidade que desde 2015 o Brasil vem enfrentando uma grave crise em diversos setores da economia. No que pese este cenário parecer assustador, e de certo modo é, acreditamos também ser um momento de grandes oportunidades!

A necessidade de se reinventar resgatou uma característica há muito adormecida por considerável parcela dos brasileiros, o espírito de empreender! De fato, não são todas as pessoas que se dedicam a um sonho, sacrificando, muitas vezes, noites de sono para desenvolver novos produtos e/ou criar ideias que impactam a sociedade.

Esse é um custo que pode ser necessário para alcançar o sucesso!

O mercado de tecnologia e inovação é um dos que vem apresentando considerável crescimento, em especial no ano de 2018, certamente este aumento se deve as startups que atingiram o tão almejado patamar de “Unicórnio”, ou seja, aquelas empresas avaliadas no mercado a 1 bilhão de dólares. São elas 99, PagSeguro, Nubank, Stone e, por fim, Ifood.

Entretanto, criar uma startup e permanecer no mercado não é uma tarefa tão simples como você imagina, pois diversos são os desafios enfrentados pelos empreendedores, afinal você está no Brasil!

Tallis Gomes, em seu livro “Nada Easy”, costuma dizer que “empreender no Brasil não é para amadores” e, de fato, não é! Prova disso é que 90% das startups fracassam nos primeiros anos.

Dificuldades em montar um time, complexa regulação, leis esparsas e confusas, alta burocracia, além de outras inúmeras intempéries do mercado tornam o trabalho do empreendedor uma tarefa hercúlea, de modo que manter um negócio no Brasil é, como já dito, para poucos.

Assim, deve-se ter em mente que, proporcionalmente ao alto risco de um empreendimento, é preciso haver um minucioso planejamento jurídico que confira subsídios ao empreendedor e confiança ao investidor, garantindo a consolidação e o sucesso do negócio. Logo, não basta ter uma ideia inédita e uma proposta arrojada, é necessário que sejam adotadas medidas que tornem possível essa alavancagem!

Portanto, não tenham medo de advogado, pelo contrário, tratem de procurar um no início do seu projeto, a fim de se proteger de um mercado tão complexo e feroz.

No próximo texto, abordaremos melhor sobre as questões societárias que os empreendedores necessitam ao iniciar seu negócio.

Bruno Coelho

Escrito por Bruno Coelho

Advogado metido a empreendedor, liberalista e praticante de Crossfit. Acredita em um Brasil menos burocrático e com maior liberdade aos que desejam empreender. Adepto da tecnologia, inovação e futurismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…