in , , ,

Prefeitura de São Bernardo reduz burocracia com transformação digital

O município de São Bernardo do Campo vem colhendo os frutos da sua aposta na transformação digital para reduzir a burocracia dos serviços oferecidos aos cidadãos e agilizar o trabalho de servidores. A administração atua em conjunto com a empresa catarinense Softplan, que venceu a licitação para iniciar a digitalização de serviços e processos ofertados ao público interno e externo no município localizado na Grande São Paulo.

Com as mudanças nos processos, a Secretaria de Obras Particulares, um dos órgãos em que mais circulava papel, passou a atuar de forma 100% digital, de acordo com a administração da cidade. Cerca de 70% de todos os procedimentos para o atendimento interno de setores e do público externo são digitais, o que significa mais economia e sustentabilidade, por meio da redução de papel, além de otimizar o tempo empregado pelos cidadãos, que não precisam se deslocar e enfrentar filas para receber atendimento.

Entrega de cartão digital

Um dos primeiros serviços a se tornar completamente digital neste processo foi a emissão do Cartão Nacional da Pessoa Idosa e Pessoa com Mobilidade Reduzida, que permite que o cidadão tenha acesso a direitos e serviços voltados ao atendimento, como vagas reservadas de estacionamento e transporte gratuito.

O prazo de entrega do cartão em questão caiu significativamente, indo de 40 dias para 10 minutos, com o documento podendo ser impresso em casa, pelo próprio usuário, conforme aponta a Prefeitura de SBC

Outros serviços digitalizados

Outros exemplos de serviços totalmente digitalizados oferecidos pela administração de São Bernardo do Campo incluem o alvará de construção, o alvará de funcionamento, o Habite-se, a revisão de IPTU, e o cadastro de locomoção de balsa.

“De início, foram três serviços pilotos que iniciamos em 2016. Hoje, já contamos com mais de 150 serviços digitais, sendo que mais de 70 são disponíveis para o munícipe”, explica a coordenadora de suporte a sistemas da Softplan, Luciane Pazzin, que trabalha diretamente na prefeitura, junto ao setor de Tecnologia.

E o processo de digitalização continua a avançar. Na secretaria de Obras Particulares, a papelada dos processos não existe mais, com o funcionamento 100% digital. Os processos físicos, em menor quantidade, só existem em outros órgãos da prefeitura.

“Estamos com mais processos digitais hoje do que físicos, porque os serviços que passamos para o digital são os que têm mais processos dentro da prefeitura”, explica a chefe da Seção de Formalização de Projetos da Secretaria de Governo do município, Adriana Canassa.

Durante a implantação do processo de automação dos procedimentos, todos os envolvidos – do servidor responsável por cada etapa, até o usuário final do sistema (seja ele outro servidor ou mesmo o cidadão) – são estimulados a refletir sobre como deixar o fluxo de trabalho mais ágil, simples e rápido, de acordo com a administração da cidade.

“É um projeto típico que mostra o nosso propósito de aproximar o cidadão do governo, facilitando a sua interação, o tirando dos balcões. Ao mesmo tempo, melhora a eficiência do órgão público para que ele possa responder à demanda do cidadão”, aponta um dos sócios-fundadores e diretor-executivo da Softplan, Moacir Marafon.

Oficinas e capacitações

A Softplan também promove oficinas e capacitações para preparar o servidor para assimilar a cultura da transformação digital. Segundo a empresa, após uma oficina de service design, em que os servidores foram incentivados a perceber os serviços do ponto de vista do cidadão, vários processos que envolviam diferentes secretarias e setores foram simplificados.