in ,

Quanto vale a minha startup?

Valorizar uma startup não é uma tarefa fácil. Os métodos tradicionais de valorização de empresas, na maioria das vezes, não trazem a projeção mais confiável e precisa do valor de uma startup, e com isso os empreendedores muitas vezes acabam ficando “no escuro” quando chega o momento de negociar um percentual da sua empresa.

Um dos principais erros cometidos pelos fundadores é calcular o valor da empresa pensando exclusivamente no valor que pretende captar, e no quanto está disposto a ceder em participação.

Esse erro é mais frequente nas startups em early stage, especialmente quando o empreendedor ainda não detém muita experiência em processos de captação de investimentos. Pela dificuldade em chegar ao valor de mercado da startup, e muitas vezes pressionados pela necessidade de injeção financeira para possibilitar a continuidade do negócio, alguns empreendedores calculam seu valuation apenas com base nessas variáveis. É importante, sim, olhar para isso, mas não se deve parar por aí.

O valor final de mercado da empresa deve ser condizente com a projeção de crescimento e faturamento apresentada aos investidores. Além disso, é importantíssimo que seja feita uma projeção de rounds de investimentos futuros, pensando não apenas na diluição da participação dos fundadores, mas também no valor de mercado estimado em cada uma destas etapas, para que ele não descole muito da realidade, a ponto de não poder ser suportado pelo mercado.

Coloque-se no lugar do investidor. Como em qualquer investimento, ao aportar dinheiro em uma startup, o investidor, via de regra, espera algo em troca. E, na maioria das vezes, essa expectativa é de retorno financeiro. A chave, portanto, é conseguir mostrar para este investidor que a sua projeção é consistente o suficiente para trazer um retorno razoável em um prazo igualmente aceitável. Enxergue aquilo que o seu investidor está mais interessado no momento e destaque na sua estratégia, seja ela seu nível de tração, fluxo de caixa ou o burn rate, sabendo que este último, em qualquer circunstância, deve ser condizente com a taxa de crescimento esperada.

Outro ponto importante é destacar seus pontos fortes e olhar para o mercado. Enquanto fica mais difícil recorrer a técnicas tradicionais de avaliação de empresas, algumas características não tradicionais do modelo de negócios das startups podem ser aliadas na hora de chegar a um bom valuation. Empreendedores que já tiveram outras iniciativas de sucesso, por exemplo, tendem a receber um “voto de confiança” dos investidores quando apresentam a sua projeção, o que repercute diretamente no valor percebido da startup. Ao mesmo tempo, tomar por base negociações e avaliações feitas por startups que atuam de modo semelhante também pode ser um bom indicativo para estabelecer um “norte” para o deal.

Difícil ou não, o fato é que saber valorizar a sua startup é algo indispensável, e um bom valuation pode ser determinante para o seu sucesso.

Texto por Rafael Simião – Head de Estratégia do Bluejack.

Fonte: Gshow

Rapaduratech

Escrito por Rapaduratech