5 dicas de como adotar o estilo home office para sua startup

 5 dicas de como adotar o estilo home office para sua startup

Home office um termo que ganhou destaque no cenário brasileiro em 2020. Grandes corporações e PME’s viram ser possível ter funcionários em casa mantendo ou até melhorando produção em suas tarefas. Uma realidade que a maioria das Startups já vivenciam há um bom tempo. 

A “ideia” não é nova, pois mesmo nos burgos (cidades muradas) da Idade Média haviam oficinas e lojas nas casas dos trabalhadores da época. Porém, esse conceito foi perdido com a chegada da Revolução Industrial, onde as fábricas eram as moradas dos trabalhadores. 

Em 1980 o escritor norte-americano, Alvin Toffler, previa em seu livro “A Terceira Onda” que a tecnologia possibilitaria as pessoas a trabalharem de casa, assim como era nos tempos antigos.

O que Toffler não antecipou foram os novos desafios que traria a nossa sociedade. Pensando nisso, separamos 5 dicas para que você, dono(a) de Startup adote o Home Office da melhor maneira possível. 

O que os dados falam do Home Office?

A insatisfação com a mobilidade urbana é uma realidade em todo nosso país, anualmente o IBOPE divulga as pesquisas sobre o assunto, na 11ª edição da Pesquisa de Mobilidade Urbana, realizada em 2017, os números não são nada bons, as notas de insatisfação com o trânsito na cidade caíram de 3,2 em 2016 para 2,7.

E como isso está relacionado ao Home Office? Bem, levar quase 2 horas diariamente para trabalhar ou estudar não agrada a ninguém, isso seria facilmente resolvido trabalhando de casa. Segundo pesquisa da consultoria Robert Half, 53% dos profissionais citam o tempo ganho e a redução no deslocamento como principais benefícios do Home Office.

Essa tendência pode ser detectada em um círculo de amigos, basta ver a reação das pessoas quando alguém no meio cita que trabalha em casa. 

Segundo pesquisa realizada pelo Buffer no final de 2019 ao redor do mundo, mostra que, dos 3.500 entrevistados, 98% gostariam de trabalhar remotamente pelo menos uma vez. No Brasil o levantamento foi feito pelo instituto Ipsos e na amostragem apontou que, 49% dos brasileiros, que já possuem emprego, possui o desejo de trabalhar em Home Office. Esse numero aumenta, chegando a 55%, com os desempregados.  

5 dicas para adotar o estilo home office

1 – Selecione rigorosamente

Conhecer uma pessoa demanda tempo de relacionamento, é muito comum acreditar que alguém é perfeito e com o passar dos anos, tudo muda. Isso vale para relacionamentos amorosos, amizades e, claro, empregados. 

Agora imagine conhecer pessoas que nem ao menos poderão estar próximas a você. Onde não estarão em seu dia a dia, sob sua supervisão. Difícil? Talvez, mas não impossível. 

A distância irá fazer com que ambos, tanto colaborador quanto dono (a)) de startup, faça uma seleção mais rigorosa.

Quem está buscando uma oportunidade no mercado almeja uma vaga que encaixe com seu perfil, onde o salário e benefícios sejam agradáveis e, principalmente, procurar uma startup que o faça crescer profissionalmente. 

Já para a startup, a busca é focada em novos talentos, os quais irão ser os melhores da área, preenchendo a vaga da melhor maneira. 

Sendo assim,aos founders de startups, recomendamos que selecionem muito bem seus talentos, leiam os currículos e portfólios enviados, marquem calls, trabalhem com técnicas de RH para trazer o melhor, mesmo estando longe. Nessas conversas procure saber se o (a) candidato (a) possui o sentimento ownership, se ele ou ela irá tratar seu negócio como se fosse dono (a), mas fica a dica, o crescimento e a motivação desse sentimento precisa, também, partir da startup.

 

2 – Oportunidades sobrepõem o dinheiro

Falamos sobre talentos e no mundo das startups a busca por eles gera uma grande concorrência no mercado. Todas querem ter os melhores profissionais trabalhando para si. 

E o que chama atenção desses talentos? Por que um profissional iria escolher trabalhar na sua startup? São as mesas de ping-pong? As cervejas nas sextas-feiras? Um salário acima da média?

Pode ser que sim, diferenciar-se e ser inovador está no sangue das startups, mas não é “só” isso. Mesmo com todas as alegrias de tomar uma cerveja no trabalho, sem ter problemas com isso, as oportunidades sobrepõem tudo. 

Oportunidade de crescimento, de ter o trabalho reconhecido, de se destacar e até mesmo de investir na startup, chamam muito mais atenção de um colaborador. 

Por isso, crie oportunidades, com isso terá os mais incríveis talentos ao seu lado, e o melhor, estarão super motivados a entregar o máximo de si. 

 

3 – Saiba o que sua startup precisa 

De nada adianta os itens anteriores se você não souber o que sua startup precisa. 

Faça uma análise detalhada do setor carente de talentos, afinal, seria fácil contratar um super redator para o marketing, mas na verdade as artes para as mídias sociais que estão em defasagem. Ambos trabalham com Marketing de Conteúdo mas, não farão a mesma função.

Outro ponto a ser ressaltado é, Startups e empresas possuem culturas diferentes e as pessoas são diferenciadas por sua personalidade, por seu jeito de ser, por isso a necessidade de sempre buscar um match entre empresa e colaborador.  

 

4 – Comunicação é tudo

E como fazer tudo isso funcionar? Uma simples palavra, mas que se tornou a chave para um relacionamento saudável, comunicação

Peça chave para que todos os trabalhos e profissionais estejam alinhados com as ideias da startup e, caso seja necessário, com os clientes.

Por isso marque reuniões frequentes, faça chamadas, receba os relatórios e os analise, mande e-mails e faça bom proveito dos aplicativos de mensagem para trocar ideias rápidas. 

Muitas vezes a falta de comunicação faz com que o trabalho não seja bem feito e isso não é culpa da startup ou do colaborador, mas sim do “ruído” e da “nuvem” de dúvidas e questionamentos que ficam ao comunicar-se de maneira limpa e clara. 

Home office precisa ser sinônimo de comunicação.  

 

5 – Estabeleça metas 

O serviço preciso ser entregue, essa é a base para todo trabalho, e com o Home Office não é diferente, independente da forma de trabalho é preciso ter produtividade. Entretanto, a partir de agora não será possível saber onde seu colaborador(a) está, se em uma quarta-feira ele (a) decide tirar um dia de descanso, tudo bem, desde que as metas estejam boas e o trabalho esteja em dia. 

A liberdade é um dos benefícios do trabalho em casa, mas para que tudo funcione e, principalmente, seja entregue, estabeleça metas. Criar um senso de responsabilidade precisa vir do colaborador, mas a empresa pode auxiliar nisso. 

Além de, claro, fica mais fácil para o empregador analisar como o trabalho está sendo desenvolvido, sendo possível ver os erros e acertos.

 

Home office é libertador, tanto para a startup quanto para o colaborador. Basta seguir as dicas deste artigo e, como tudo dentro de uma startup, exige muito trabalho duro e estudo. Como as startups adoram inovação, até mesmo na maneira de se trabalhar. Por que não aproveitar a tecnologia que nós, seres humanos, construímos?

Flávio Carneiro

Engenheiro de Computação apaixonado por Tecnologia e Rapadura desde criança, uniu os dois e criou o Rapadura Tech para fomentar o ecossistema de empreendedorismo e tecnologia. Atualmente lidera um time de desenvolvimento e marketing no Insight Lab. É usuário ativo do Telegram e entusiasta de Inovações e Marketing Digital.

Posts relacionados