Qual a importância de fazer investimento em cibersegurança para startups?

 Qual a importância de fazer investimento em cibersegurança para startups?

A segurança dos dados na internet tem ganhado mais atenção por parte de grandes empresas. Dessa forma, as startups, empresas de tecnologia e inovação estão, cada vez mais, ampliando o investimento em segurança digital. O foco é a busca de proteção dos dados e confidencialidade de informações. 

No dia 19 de fevereiro, os endereços eletrônicos das lojas Americanas, Submarino e Shoptime saíram do ar. As lojas Americanas tiveram mais de R $2 bilhões de prejuízo em valor de mercado, com 6,5 % de queda na bolsa. Alguns sites ficaram dias sem acesso, o que causa danos tanto de imagem quanto financeiros ao expor dados dos consumidores. As lojas como a Renner e a CVC também foram invadidas recentemente.  

Nos Estados Unidos, em 2020, a maior produtora de carnes do mundo, a JBS, pagou 11 milhões de dólares pelo resgate do sequestro digital. 

Aumento nos casos de invasão

O Brasil apresentou um aumento de 62% nos casos de cibersegurança em 2021. O país teve uma média de 967 ataques, de acordo com o levantamento da empresa de segurança na internet Check Point Software. Os números apresentam a importância do investimento na segurança digital.

As organizações criminosas recebem altos investimentos para realizar a invasão de dados. Sendo assim, os profissionais recomendam investir mais em segurança na internet para evitar futuras dores de cabeça. 

Conflito cibernético entre Rússia x Ucrânia

Os recentes embates entre a Rússia e a Ucrânia ampliaram as invasões pela intenet em busca de informações sigilosas. O conflito ganha tensões também no mundo virtual. A guerra entre os países europeus fez aumentar a segurança dos dados e das informações.  Leia mais sobre esse assunto aqui.

Especialista ressalta a necessidade da proteção dos dados

O advogado em direito civil e empresarial, Leandro Chiari, destaca a necessidade do investimento em cibersegurança.“É extremamente importante pensar em se proteger. Principalmente, em razão de que as startups e empresas de tecnologia e inovação, quase em sua totalidade, buscam aporte financeiro’’, diz.

O especialista destaca a boa governança como um dos requisitos para que esses setores tenham um aporte considerável. ‘’Uma prática fundamental é gerir o risco e evitar vazamento de dados dos consumidores de empresas  hackeadas’’, afirma.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) fez, em setembro de 2021, um ano que entrou em vigor no País. Ela foi elaborada para punir  as empresas de forma negligente com os consumidores. A lei aplica sanções que podem chegar até o fechamento dessas empresas.

Bruno Saviotti

Bruno Saviotti é psicanalista e jornalista e exerce atividades com temáticas como startups e novos empreendimentos. Utiliza as duas áreas como forma de auxiliar as pessoas a se conhecerem melhor para empreender e lidar com suas dores financeiras. Atende também terapeuticamente empreendedores com foco em desenvolver suas habilidades. Escreve para sites e para o Rapadura Tech sobre as questões psicológicas que costumam afetar os empresários, inclusive, sobre julgamento social e autoconhecimento. Ele aborda os tema por meio do Podcast, Youtube e Instagram @mejulgueoficial.

Posts relacionados

Newsletter

Rapadura Tech

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.