Primeiros passos para adequar sua startup à agenda ESG

 Primeiros passos para adequar sua startup à agenda ESG

Imagem: Thiago Pontes

Nos últimos anos, houve o aumento de incentivos ao empreendedorismo sustentável. Por esse motivo, os modelos de negócio que fomentam o desenvolvimento da sociedade atual e protegem o progresso de gerações futuras, têm conseguido maior vantagem no mercado.

As empresas sustentáveis costumavam orientar suas atividades pelo conceito de Triple Bottom Line (TBL). Desta forma, desenvolviam seus modelos de negócio observando e equilibrando aspectos econômicos, ambientais e sociais. 

Já a agenda ESG (Environmental, Social e Governance), reformulou e ampliou o conceito de TBL. Ela surgiu a partir de uma indagação feita por Kofi Annan, ex-Secretário Geral do ONU, na qual ele incentivou os líderes empresariais a realizarem suas atividades obedecendo a critérios ambientais, sociais e de governança.

Com isso, a agenda ESG ganhou força e se tornou um conceito mais completo. Em consequência, as empresas passaram a adotar medidas para desenvolver suas atividades de forma sustentável, socialmente responsável e obedecendo à práticas de governança.

Startups também devem se adequar aos critérios ESG

Não pense que a adequação à agenda ESG é um movimento voltado somente para grandes empresas. Pelo Contrário! Investidores e consumidores tem exigido, cada vez mais, atividades orientadas por critérios de sustentabilidade, responsabilidade social e governança.

Em razão disso, a adequação aos critérios de ESG é aplicável a empresas de pequeno porte e passou a ser vista como uma exigência de mercado. Logo, startups que aplicam com eficiência a agenda ESG, tornam-se mais atraentes para investidores e clientes e, por isso, alcançam melhores resultados.

A importância de adequar sua startup à  agenda ESG

Seguem alguns dados que mostram os benefícios da adoção dos princípios de responsabilidade socioambiental e governança pelas empresas.

Humanizadas: em 2021, as startups conscientes, ou seja, que adotam a agenda ESG, tiveram 33% mais agilidade e 43% mais capacidade de inovação. Logo, as empresas que estão alinhadas com os princípios ESG são mais eficientes quando comparadas com negócios que não adotam tais critérios.

EY Global Institutional Investor Survey: em 2021, 90% dos investidores deram maior importância para o desempenho ESG das empresas ao tomarem decisões e escolherem em quais investir.

Inside ESG Tech Report: em 2021, as startups brasileiras, que adotaram a agenda ESG, captaram US $991 milhões nos últimos 10 anos.

Union + Webster: em 2019, 87% dos consumidores preferiram comprar produtos de empresas sustentáveis.

Premium Purpose Index: em 2021, para 90% dos consumidores, as empresas com propósito foram percebidas como mais confiáveis. 88% dos consumidores preferiram adquirir produtos e serviços de empresas que tinham um propósito maior do que o bem ou serviço que ofereciam.

Startup conscientes são mais competitivas e eficientes

A vantagem competitiva das startups conscientes só tende a crescer. Compreenda que as pessoas veem as empresas como agentes de transformação social. Por essa razão, investidores e consumidores dão mais valor para negócios adequados à agenda ESG.

Entretanto, maior competitividade não é a única vantagem que as startups com bom desempenho ESG possuem em relação a seus concorrentes.

Portanto, além de serem as preferidas dos investidores e consumidores, as startups conscientes minimizam os riscos jurídicos do seu negócio, reduzem seus custos, têm maior receita, são mais produtivas, são mais eficientes e otimizam seus investimentos, conforme aponta o relatório do Itaú Asset.

Quer criar uma startup mais competitiva e eficiente?

Seguem algumas dicas para sua startup dar os primeiros passos na adequação à agenda ESG.

Adequação ao E

Esse primeiro pilar está relacionado à realização de ações voltadas à preservação do ambiente e redução dos efeitos das mudanças climáticas.

Portanto, para sua startup se adequar ao critério Ambiental (Environment), ela deverá adotar políticas direcionadas a construir um modelo de negócio  sustentável e a fomentar a sustentabilidade na sociedade em que a empresa está inserida.

Logo, ao determinar os objetivos da sua startup, leve em consideração ações que viabilizem uma politica de sustentabilidade eficiente, tais como:  

  • Investir em energia limpa.
  • Otimizar o uso de materiais.
  • Realizar coleta seletiva.
  • Contratar fornecedores que adotem a agenda EGS.
  • Comprar material de fácil decomposição.

Adequação ao S

O critério Social está ligado à ideia de respeito aos direitos humanos, inclusão, diversidade e redução de desigualdades sociais.

Logo, toda a sua operação deve ser humanizada, colocando o bem estar dos indivíduos como prioridade.

Portanto, para que a sua startup se torne socialmente consciente, você deverá fomentar ações que:

  • Criem um bom ambiente de trabalho.
  • Preservem os direitos humanos de todos.  
  • Promovam a inclusão e a diversidade dentro da empresa.
  • Incentivem os fornecedores a seguir a agenda ESG.
  • Causem impacto social positivo na comunidade.

Adequação ao G

O terceiro pilar da agenda ESG está relacionado à governança corporativa. Ou seja, é a forma como a startup é dirigida por seus líderes e colaboradores.

Assim sendo, a sua startup deverá desenvolver um modelo de negócio guiado por boas práticas de governança, que deverão ser observadas por todos os níveis da empresa.

Em razão disso, você deverá implementar algumas práticas, como por exemplo:

  • Estar adequada à legislação que regula a sua atividade.
  • Recolher os tributos devidos.
  • Desenvolver um programa de integridade.
  • Estar em conformidade com a LGPD.
  • Realizar uma gestão de riscos eficiente.

Evite riscos desnecessários

Adequar sua startup à agenda ESG é plenamente viável. Você pode iniciar com ações de baixo custo e projetar uma adoção contínua dos critérios ESG.

Todavia, não basta parecer que a sua startup adota essa agenda. Investidores e consumidores estão atentos às ações de marketing voltadas para passar a falsa impressão de que a empresa orienta suas atividades por critérios ESG. Eles observarão a aplicação da agenda ESG no dia a dia da sua empresa.

Outro ponto a ser considerado para evitar prejuízos futuros, é o cuidado com a contratação de fornecedores e parceiros. Antes de contratar um fornecedor ou fazer uma parceria, realize uma auditoria para saber se, por exemplo, esse fornecedor está adequado à LGPD.

A adoção da agenda ESG pode trazer diversas vantagens para o seu negócio. Portanto, tome os cuidados necessários e a sua startup terá grande vantagem competitiva, se tornando mais atraente para investidores e consumidores.

Rapadura News

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.

Gustavo Salema Marques

É advogado e fundou seu escritório 100% digital. Atua prestando assessoria para startups. Consultor jurídico em uma incubadora do Norte Fluminense. Voluntário no Projeto PI nas Escolas do INPI. Apaixonado por inovação, proteção de dados, negócios de impacto social e ESG. Vê no ensino do Direito nas escolas uma forma de mudar a sociedade por meio do incentivo à cidadania e ao empreendedorismo inovador.

Posts relacionados

Newsletter

Rapadura Tech

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.