O processo de internacionalização de startups brasileiras para Portugal

 O processo de internacionalização de startups brasileiras para Portugal

A ampliação do mercado de startups para outros países tem sido uma alternativa para os empreendedores brasileiros. Visando uma comercialização mais segura e uma nova estratégia para alcançar diferentes públicos, os países buscam territórios em outros continentes além do lugar de origem para expandir. 

A internacionalização de uma startup tem como modelo de negócio trazer uma estrutura societária que possui no Brasil para Portugal, por exemplo. A companhia continua existindo no território brasileiro, mas a parte associada é onde o investidor vai aplicar o dinheiro no exterior. Um dos grandes motivos de fazer essa ampliação internacional é ter acesso a capitais que de outra maneira não teriam no país de origem. De uma forma geral, é ter mais possibilidades de poder comercializá-los em um mercado externo.

Normalmente, o investidor que não tem confiança de colocar as ações no território brasileiro, opta pelo modelo internacional e também para aproveitar alguma oportunidade no mercado estrangeiro. Muitas vezes, por não entender os riscos jurídicos que pode ter, empreendedores sentem mais confiança no processo fora das normas legislativas e da região de origem. 

Vantagens da internacionalização do Brasil para Portugal

Entre outras vantagens, a internacionalização permite a ligação entre a Comunidade da Língua Portuguesa (PLPEX) gerando uma sinergia empresarial.  Além disso, possui a vantagem competitiva de sourcing para desenvolvimento tecnológico de startups e a aproximação de modelo de negócios para uma implementação conjunta para atuar em diferentes partes do mundo. 

O ex-gerente da Gympass Portugal (unicórnio brasileiro do mercado fitness) e atual CEO e fundador da boxconnect (www.boxconnect.tech), Thiago Chaib Lisboa, destaca pontos positivos na internacionalização das startups para Portugal. Entre esses, a atração de recursos e investimentos para o país, a permissão de maior visibilidade do ecossistema, fomentar soluções inovadoras para os desafios de diferentes mercados; possibilitar parcerias estratégicas e contribuir para a sustentação do ecossistema empreendedor.

Essa aproximação entre as duas nações permite maior dinamismo e eficiência à produtividade dos setores industriais, facilita a inclusão social, a difusão do conhecimento e gera oportunidades e empregos de qualidade.

Segundo Thiago, a internacionalização ainda precisa ser reforçada e facilitada no Brasil. Atualmente, existem muitas startups com soluções e modelos de negócios capazes de internacionalizar e produzir impacto global. “Ao meu ver, a maior importância neste processo estão nas oportunidades: Capacitação dos empreendedores; a  realização de análises e testes em diferentes mercados e o acesso a boas práticas para aprimorar suas soluções”, destaca Thiago. 

Gympass – Unicórnio brasileiro do mercado fitness

Thiago começou a vida empreendedora, em 2010, com a ideia de encontrar uma solução mais acessível para as atividades físicas e o ramo de academias. Ao tentar criar um dos primeiros marketing place do setor (personalcerto.com), conheceu João Thayro, um dos fundadores da Gympass. 

“A Gympass surge através da dor de um de seus fundadores (César Carvalho) que viajava muito a trabalho e sempre tinha dificuldades para encontrar academias que oferecessem preços razoáveis e planos temporários”, relembra. A partir disso, desenvolveram uma ideia para agrupar as academias, empresas e os clientes finais. 

Dicas para internacionalizar a startup

O empreendedor que quer expandir para outros continentes precisa seguir alguns pontos. É importante fazer uma pesquisa de mercado para ver a competitividade em Portugal, saber os gastos que terá para a implementação em outros países, buscar investidor e parceiros para tirar dúvidas na internacionalização e ter respaldo jurídico. 

Evento em Portugal

No dia 24 de março, o município português de Leiria realizou o encontro da Confraria do Empreendedor, uma comunidade que tem o objetivo de fazer conexões nacionais de startups e trazer mais aproximação entre os negócios brasileiros e portugueses. No total, mais de 125 empresas e startups dos dois países estiveram presentes este ano.

Rapadura News

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.

Bruno Saviotti

Bruno Saviotti é psicanalista e jornalista e exerce atividades com temáticas como startups e novos empreendimentos. Utiliza as duas áreas como forma de auxiliar as pessoas a se conhecerem melhor para empreender e lidar com suas dores financeiras. Atende também terapeuticamente empreendedores com foco em desenvolver suas habilidades. Escreve para sites e para o Rapadura Tech sobre as questões psicológicas que costumam afetar os empresários, inclusive, sobre julgamento social e autoconhecimento. Ele aborda os tema por meio do Podcast, Youtube e Instagram @mejulgueoficial.

Posts relacionados

Newsletter

Rapadura Tech

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.