Abismo digital: apenas 20% dos brasileiros têm acesso a internet de qualidade!

 Abismo digital: apenas 20% dos brasileiros têm acesso a internet de qualidade!

O abismo digital evidenciado no Brasil tem gerado impactos em todos os setores sociais, em principal para as pessoas que vivem à margem da sociedade. Portanto, conheça a pesquisa de mesmo nome feita pela PwC e saiba o que ela mostra sobre a internet.

E então, o que é o abismo digital?

O abismo no mundo digital nada mais é do que a diferença existente entre o acesso à internet de qualidade de pessoas de diferentes classes sociais. No entanto, a garantia ao acesso digital ou a falta dele, implica em vários outros cenários, como:

  • Escolarização;
  • Empregos e cargos ocupados;
  • Moradias e bem estar social.

Qual a principal causa do abismo digital?

Fica evidente, então, que o principal motivo da existência de tal termo é a desigualdade de renda. Ou seja, enquanto os possuidores de renda alta têm acesso a internet de qualidade, os menos favorecidos ficam aquém de tal privilégio e assim, de suas implicações.

A baixa qualidade do sinal e o elevado custo dos planos e dos equipamentos também provocam o desigual acesso à internet. Neste sentido, isto prejudica também as opções de futuro do país, no que tange o mercado de trabalho.

Embora em todo o Brasil haja problemas com a conexão, observa-se que nas áreas de periferia e no interior a situação é ainda pior. Logo, além da falta de acesso, há locais em que a velocidade da rede é bem ruim.

Pesquisa aponta que só 20% dos brasileiros tem internet de qualidade

De acordo com uma pesquisa de nome “Abismo Digital”, realizada pela consultoria PwC em parceria com o Instituto Locomotiva, apenas 20% dos brasileiros têm internet de qualidade. Portanto, 80% das pessoas não têm acesso a uma boa rede, o que é assustador.

Com efeito, os números da pesquisa vêm revelar que:

  • 33,9 milhões estão desconectados (grupo composto por pessoas de baixa renda, não alfabetizados, idosos e homens);
  • 87 milhões estão online, mas não conseguem se conectar todos os dias;
  • 49,4 milhões estão plenamente conectados (29 dias);
  • 44,8 milhões parcialmente conectados (25 dias);
  • Brancos têm mais acesso que negros.

A pesquisa também mostrou que a pandemia de Covid-19 evidenciou ainda mais este abismo. Dessa forma, ficou claro, em relação à educação, que a classe baixa ficou prejudicada quanto ao ensino remoto e nem todos puderam se beneficiar com o mesmo.

Impactos da falta de internet para a população

A falta de internet não se configura apenas em um menor acesso às informações. Logo, é muito mais que isso e entre os problemas da falta de conectividade estão:

  • Impactos educacionais;
  • Diferenças na preparação ao mercado de trabalho;
  • Acesso a serviços.

Falta de mão de obra na área da tecnologia

Outro impacto se refere a formação em empregos na área da tecnologia. Dessa forma, com acesso limitado de boa parte das pessoas, elas não conseguem se inserir de forma total neste mercado, o que evidencia uma carência neste sentido.

Abismo digital
Foto: O abismo digital traz impactos também no acesso à educação.

Como mudar o cenário do abismo digital?

Mudar o cenário do abismo digital no qual se encontra o Brasil só será possível mediante políticas públicas urgentes e de qualidade. Portanto, cabe aos governantes analisar tais dados e promover ações que de fato vão a raiz do problema, ou seja, a diferença de renda.

Trata-se, então, de uma questão já presente no país desde sempre, que dita a qualidade de vida das pessoas que nele vivem. Isto é, o círculo da desigualdade social implica em diferenças no acesso a diversos serviços, incluindo a rede de internet.

Cinturão digital do Ceará é uma proposta de mudança

Um exemplo de proposta de mudança presente na forma de política pública é o projeto do Cinturão Digital do Ceará (CDC). O mesmo foi uma iniciativa do Governo do Estado do Ceará, em parceria com a Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (ETICE).

Além de levar a internet para várias pessoas, ele também é essencial para a melhoria da educação no estado. Isso porque, através dele, pode-se elaborar Centros de Educação a Distância, destinados ao ensino remoto e aos conteúdos digitais.

Hoje, o projeto conta com mais de três milhões de usuários impactados pelo Cinturão Digital do Ceará. Logo, isto acontece de forma direta ou pela interposição de mais de 500 provedores.

Como funciona?

A proposta do projeto consiste em levar internet de qualidade e com alta velocidade para 82% da população urbana de todo o Estado. Assim, espera-se chegar aos locais mais remotos e o melhor, com um preço acessível para todos.

Prefeituras de vários municípios vêm utilizando esta infraestrutura. Inclusive, muitas também oferecem conexão Wi-Fi nas praças de suas cidades, de forma gratuita, em vários pontos públicos.

Há planos de extinção do abismo digital no Brasil?

Embora as políticas públicas de incentivo ao acesso à internet de qualidade e ao fim do abismo digital caminhe em passos lentos, é possível ver algumas ações neste sentido.

Entre elas, assim, cita-se o exemplo do Cinturão Digital do Ceará, um importante projeto que só tem render bons frutos. No entanto, não se pode parar por aí e há muito mais a se fazer para diminuir as mazelas existentes no Brasil.

Diego Dias

Diego Dias é escritor há 22 anos e especialista em SEO há 7 anos, possui mais de 10 mil criações no mundo da redação online e é um apaixonado por produzir conteúdos que levam conhecimento ao público.

Newsletter

Rapadura Tech

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.