Cirurgia no metaverso: entenda mais sobre essa novidade

 Cirurgia no metaverso: entenda mais sobre essa novidade

(Imagem: Thiago Pontes)

A cirurgia no metaverso feita pela primeira vez no mundo foi no Brasil. As pessoas da área de Medicina participaram de uma simulação com avatar. O resultado, então, chegou até a gerar elogios de especialistas sobre o panorama da tecnologia.

Entenda mais sobre o metaverso

Mesmo que pareça recente, a ideia do base vem desde os anos 80. A princípio, surge de um livro chamado Snow Crash, da literatura Cyberpunk. Nesse sentido, se trata de interagir com um mundo paralelo ao que se conhece.

Ele pode ter um teor mais ficcional, mas há uma imersão muito maior. Então, ainda que não seja real de fato, passa sensações reais. Por exemplo, os videogames já aplicam um tipo de metaverso com os seus jogos.

  • Ir à reuniões;
  • Fazer compras;
  • Interagir com outras pessoas;
  • Criar avatares e até ir à escola.

São alguns dos pontos sobre o que o usuário pode fazer dentro desse mundo virtual. Antes de mais nada, alguns deles já dava para fazer, mas a ideia fracassou. Isso se deu tanto pela tecnologia mais limitada, quanto pelo alcance das redes sociais.

Foto: A cirurgia no metaverso pode ajudar muito na evolução da medicina

Cirurgia no metaverso: como isso funciona?

O modo de operação dessa ideia parte de um sistema operacional criado para os óculos de realidade virtual. Dessa forma, é possível não só ver, como falar com um avatar na cirurgia.

União da realidade e do universo digital

Em geral, é isso que ocorre, já que a simulação se deu com as tecnologias. Ou seja, cada uma das pessoas na sala podia ver o avatar e outros membros. Além disso, dava para usar os objetos para fazer a cirurgia, uma retirada de tumor.

Na prática, é tudo graças aos óculos do metaverso, um item com um software próprio. Dessa maneira, quem esteve na simulação podia até mesmo ouvir o avatar, mesmo sem fones.

Quais os impactos disso no futuro?

O futuro da cirurgia no metaverso implica em uma relação ainda melhor com os avatares. Dessa maneira, eles poderão servir como formas de ensino para os alunos de medicina.

A tendência é que o personagem virtual se torne capaz de avaliar erros no processo. Do mesmo modo, vão estar aptos a ensinar e derrubar barreiras geográficas ou econômicas.

Na prática, o intuito é ampliar o alcance do estudo para todos os públicos. Assim, locais onde o acesso é mais limitado e, portanto, necessário, terão condições de aprender.

Cirurgia no metaverso e o protagonismo brasileiro

Em geral, o Brasil surge com grande relevância nesse cenário do Metaverso por ser pioneiro nesse campo. Ou seja, é o primeiro lugar do mundo a ter feito uma ação dessa categoria.

A simulação foi monitorada por especialistas internacionais, que se mostraram muito impressionados. Acima de tudo, mesmo Harvard, que possui vários experimentos de destaque, não tem algo assim.

Rapadura News

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.

Diego Dias

Diego Dias é escritor há 22 anos e especialista em SEO há 7 anos, possui mais de 10 mil criações no mundo da redação online e é um apaixonado por produzir conteúdos que levam conhecimento ao público.

Posts relacionados

Newsletter

Rapadura Tech

Cadastre-se e receba, todas às sextas, um resumo do que foi destaque na semana sobre Tecnologia, Empreendedorismo e Negócios.